SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34



Cobrar mais de quem ganha menos e aumentar contribuição da prefeitura

23/11/2021

Compartilhar



Essa é parte da solução apoiada por Hélio Escudero e Henrique Torres.

O Instituto de Previdência, que tem um Conselho Administrativo presidido pelo eterno assessor de Silvio Torres, Hélio Escudero, do nada surgiu com um déficit de milhões de reais que pode comprometer a estrutura dos serviços públicos e a aposentadoria de milhares de servidores públicos municipais e, na pior hipótese, levar o município à falência?

Seus problemas acabaram!

O próprio Conselho, presidido pelo próprio Hélio Escudero tem a solução. Basta aumentar, eventualmente dobrar a participação patronal, ou seja, a contribuição da prefeitura. Na prática aumentar impostos ou retirar dinheiro de serviços públicos, para que o cidadão e cidadã rio-pardenses paguem por isso.

Ah, será necessário criar alíquotas especiais, ou seja, que os próprios aposentados passem a contribuir e, eventualmente, os servidores da ativa. Mas o Conselho presidido por Hélio Escudero, com apoio do vereador Henrique Torres, tem duas ressalvas que não podem ser descartadas, diferentes do que recomenda o Ministério da Previdência, aqui só se poderá criar alíquotas especiais para os que recebem até um salário mínimo. Na prática? Hélio Escudero e outros Conselheiros que recebem um cadim acima do salário mínimo não terão de contribuir com valores para cobrir o rombo.

Parece piada ou coisa de grupo humorístico. Só que não é.
A última ATA do nobre Conselho de Administração do Instituto Municipal de Previdência traz (detalhe na foto abaixo) três recomendações preocupantes:

“1 – não criar alíquota
extraordinária para o segurado do IMP com benefício acima de 1 salário mínimo”

Ou seja: quem ganha menos de um salário mínimo pode contribuir MAIS do que os que ganham mais do que um salário mínimo. A questão diz respeito diretamente a uma grande massa de servidores públicos que deveriam ser ouvidos antes da questão ser decidida.

“2 – não regulamentar de forma administrativa o benefício de aposentadoria especial, para atividades insalubres e perigosas.”
Na prática a proposta do nobre Conselho local claramente é proferida de forma contrária ao recomendado pela União, tanto que na ata fizeram constar “Reforma da Previdência
seguindo as regras aplicadas pela União, excetos dois itens:”. Por que excetuar estes dois ítens? O Conselho não disse. Como não disse, claramente, a origem do rombo ou indicou quem teria contribuído de alguma forma para o quadro caótico se formar.

E você, leitor: concorda em pagar mais impostos para pagar um rombo da previdência, a fim de que não seja cobrado participação de Hélio Escudero ou outros que ganham mais de um salário mínimo?  



Comentários


















Leia também:

Polêmica
Vereadores devem ajudar cidadãos, ex-cabos eleitorais que passem dificuldades?

São José do Rio Pardo
Trecho da Perimetral será recapeado vereador explica alterações

São José do Rio Pardo
Uma rua e trecho de outras duas serão recapeadas no Bela Vista

Religião
Rafal Kocian concita a que texto religioso lido seja de Chiara Lubich

Mais notícias…




Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais

contato@jornaldemocrata.com.br