SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

O que é a candidíase na boca?

20/03/2021 - Marcelo Nogueira Russo

Popularmente conhecida como “sapinho”, a candidíase na boca se trata de uma infecção fúngica e pode acometer pacientes em diferentes faixas etárias, especialmente aqueles com o sistema imunológico comprometido ou enfraquecido. Embora seja uma doença bucal comum, a candidíase oral pode trazer uma série de incômodos, como surgimento de lesões na região, dor, sensação de boca seca e até mesmo náusea.

O QUE É CANDIDÍASE NA BOCA?
Causada pelo aumento excessivo de um fungo chamado Cândida albican, a candidíase oral é um dos muitos problemas que acometem a boca. Ela é responsável pelo surgimento de uma série de sinais que afetam as mais variadas regiões da boca, embora sejam mais recorrentes na área da língua. Além de afetar a saúde bucal, a candidíase oral também pode trazer prejuízos a outras partes do corpo, já que o quadro pode se espalhar através da corrente sanguínea, afetando os pulmões, o fígado e o aparelho digestivo. Ainda que possa acometer pacientes de todas as idades, a candidíase na boca é mais comum em bebês, pessoas com baixa imunidade e pacientes que fazem uso frequente de antibióticos de largo espectro ou corticoides.

OS PRINCIPAIS SINTOMAS DA CANDIDÍASE NA BOCA
Boca seca, dor ao engolir ou mastigar, lesões brancas ou avermelhadas na boca, náuseas e vômitos, rachaduras em toda a cavidade bucal, redução de apetite, secreção de cor branca com aspecto de ‘queijo’, sensação de garganta inchada.
Para identificar o quadro, o ideal é procurar um profissional habilitado para garantir um diagnóstico precoce e preciso. Dessa forma é possível avaliar o tipo de cândida e reconhecer as suas variantes e, assim, optar pelo melhor tratamento.

CANDIDÍASE NA BOCA PEGA?
A candidíase na boca é, sim, um quadro contagioso. Prevenir esse problema nem sempre é algo possível. Justamente por ser uma doença originada pela presença de fungos no nosso organismo, conhecido cientificamente como Cândida albican, a candidíase oral pode ser transmitida de pessoa para pessoa através do contato direto. Esse contágio pode ser através do beijo, contato sexual e até mesmo compartilhamento de objetos e utensílios.

COMO TRATAR?
Depois de diagnosticar a candidíase na boca é importante realizar o tratamento acompanhado por um profissional qualificado. As medidas devem ser indicadas por um cirurgião dentista, clínico geral ou pediatra, no caso de bebês e crianças. Nesse caso, o tratamento para candidíase oral pode ser feito em casa por meio de aplicação de antifúngicos na forma de gel ou líquido, no período de cinco a sete dias. Além disso, a utilização de antisséptico tópico e a suplementação alimentar para fortalecer o sistema imunológico também pode ser indicada.

OS CUIDADOS PARA PREVENIR A DOENÇA BUCAL
Para prevenir a candidíase na boca, existem alguns cuidados simples e fáceis que podem ajudar. Adquirir hábitos que contribuam para o aumento da imunidade. A queda da imunidade é a principal causa da doença, já que, com a redução das defesas naturais do corpo e o desequilíbrio das bactérias benéficas em nosso organismo, é comum que a colônia de Cândida albican cresça de forma descontrolada, fazendo com que as lesões típicas da doença apareçam. Optar por alimentos ricos em vitamina B12, ferro e ácido fólico é uma das formas de prevenir a candidíase na boca. Além disso é importante redobrar a atenção com a higiene bucal, incluindo o uso de produtos adequados, como fio dental e enxaguante bucal.


Por Marcelo Nogueira Russo, cirurgião dentista. 



Mais artigos de Marcelo Nogueira Russo

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais