SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34



A mentalidade...

18/10/2021 - por Paula Wintiski

Desde que Jesus morreu e houve a consumação do plano da salvação, o Espírito Santo está em nós.


Com a morte de Jesus, foi nos dado acesso ao espírito que é o Santo dos santos do templo judaico, por isso nós somos chamados de templo ou igreja.
Foi por isso que Jesus falava em parábolas, pois quando estava pregando, ainda não tinha morrido na cruz, então o espírito não havia sido aberto e depois da Sua morte, os que O aceitavam como salvador e tinham seu espírito aberto, contavam agora com o Espírito Santo dentro deles, para discernir as parábolas que Jesus havia dito...


Veja como é como a parábola das sementes: Jesus jogou as sementes com as parábolas, depois morreu e irrigou o coração de cada um com a água viva e então aceitando a Jesus e passando para ser a habitação do Espírito Santo, cada um teve a oportunidade de chegar a conclusão: Deus é meu Pai e quero um relacionamento com Ele.


Aqui, depois do Pentecostes, começou a igreja primitiva e a expansão do evangelho vivo...


Veja, a igreja primitiva começou com os discípulos que tinham tido um relacionamento com Jesus...


Antes da morte de Jesus, e do seu espírito não ter aberto, eles não entendiam pois, a mentalidade deles era que o Messias salvaria os judeus dos Romanos e que reinaria como Davi reinou e nunca mais eles seriam dominados por outros povos.


Veja a mentalidade estava errada e Jesus não a desconstruiu antes de Sua morte...


Jesus, ao ressuscitar e depois de ir se apresentar ao Pai, voltou para que seus discípulos pudessem vê-lO e constatarem de uma vez por todas que o Messias veio para pagar os pecados.


A mentalidade foi quebrada com o fato.


E quando o Espírito Santo veio e habitou dentro deles é que cada um foi sendo amadurecido espiritualmente, ou seja, cada um foi guiado pelo Espírito Santo e fez a sua parte para que a mentalidade da época fosse quebrada e reconstruída... Afinal, Deus nos quebra de nós mesmos e nos reconstrói como Ele quer que sejamos, se nós desejarmos, pois o amor não obriga, o amor dá liberdade.


Hoje temos uma mentalidade de racionalizar tudo, ou seja, eu preciso entender para crer.


Mas o entender está na alma e não no espírito... Então é por isso que nossa fé é tão presa na armadilha da mentalidade, que é o racionalismo. O inimigo vem nos envolvendo nessa teia há muitos séculos. Veja a história, ela está aí para nos ensinar e nos levar a dar passos para longe dessa contaminação da mentalidade e experimentar a realidade do céu, onde a vontade de Deus é feita: Deus não nos quer doentes, com culpa, com incerteza da salvação, com coisas fixas de adoração, pois a maior adoração é um ser cheio de fé e amor...


A mentalidade de hoje nos diz que pra ter fé e acreditar precisamos entender a Bíblia. Mas Deus fala, vem ter um relacionamento comigo que a Bíblia será uma forma de Eu falar com você, pois o que você precisar ira´ “saltar” aos seus olhos e você saberá como é ter a realidade do céu com você. O extraordinário de uma vida com Deus só é possível ao que se permite ter um relacionamento. E o pecado não é mais o foco e sim se alguma coisa me afasta ou não de Deus.
Quando você estrega toda a sua mentalidade de convicções, o Espírito Santo pode quebrar cada uma que está te impedindo de se relacionar com ele em seu espírito e reconstruir as pontes que te levam mais rápido para lá.
Então o evangelho passa a ser prático, íntegro: corpo, alma e espírito... Mas queremos estar no espírito cada vez mais, pois é lá que está a vida plena, a vida da graça sobre graça... A maravilhosa mentalidade de amor que há no céu, está em você, quando você quiser... Ah, meu amor, uma vida sem medos, sem ansiedade é possível ao que crê, não ao que entende tudo... Ao que se entrega e deixa ser desconstruído para ser reconstruído com o Espírito Santo. O medo de pecar some, pois o foco está no relacionamento, assim, não faço força, apenas me entrego a esse amor. Isso leva a não discutir mais esse ou aquele detalhe de doutrinas, pois sei que é o Espírito Santo que está guiando, pois cada um está desenvolvendo maturidade espiritual, pois isso que importa, o processo. O conhecimento em si é apenas viver na alma, lutando e lutando contra o pecado, como Paulo diz em Romanos 7, onde descreve a vida antes de conhecer Jesus na estrada de Damasco.


Depois é viver pela graça sobre graça no espírito, afinal você confia que o Espírito Santo está amadurecendo cada um, não te cabe dizer coisas contra o Espírito Santo. Por isso é tão importante saber o peso das palavras. Que sejam para construir e não para destruir.


Se eu tenho o Espírito Santo em mim, tudo me é permitido, mas nem tudo me convém, afinal, não quero me separar dEle e viver na alma, quero levar mais e mais a viverem assim, na graça sobre graça... No aconchego dos Seus braços e nas incríveis conversas que nos une cada vez mais e mais e me amadurecem para enxergar a realidade espiritual do céu hoje aqui em mim. Não há disputa, há processos. Assim quando um professor ensina os alunos e cada um aprende no seu tempo de acordo com a sua maturidade... Não há competição nem julgamentos, pois cada um está sendo “encaminhado” da maneira apropriada, especial para ele... E aos mais maduros cabe como Paulo diz: se ele disse que é comida de sacrifícios aos ídolos, não coma, não pela sua consciência e sim pela consciência dele, pois ainda é bebê na fé, precisa de leite. Você só precisa contar das maravilhas da sua vida com Deus e o mais quem convence e converte é o Espírito Santo... Lembra: o fardo é leve!!!


Beijinhos... Paula Winitski  

Mais artigos de Paula Wintiski

18/10/2021 - A mentalidade...


12/10/2021 - Busque um relacionamento


04/10/2021 - A diferença...


30/09/2021 - Olhe para mim


13/09/2021 - Mais que vencedores


05/09/2021 - O seu foco é a chave: amor


29/08/2021 - Racionalismo, o deus desta era


21/08/2021 - Na presença de Deus...


09/08/2021 - Vida Plena com Deus


18/07/2021 - “Ensina-nos a orar...”























Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais

contato@jornaldemocrata.com.br