SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Diastema

14/10/2020 - Marcelo Nogueira Russo

O diastema é uma característica bem marcante e conhecida no sorriso de muita gente, inclusive de celebridades, como a cantora Madonna. Embora esse espacinho entre os dentes seja comum, algumas pessoas têm dúvida se é necessário corrigi-lo. O QUE É O DIASTEMA? O diastema é o espaço ou fresta localizado entre os dentes, bem na região em que passamos o fio dental. Ele se forma nos elementos anteriores-superiores, principalmente entre os incisivos centrais, mas também pode acontecer entre outros dentes da arcada. Nas crianças, é normal que seja observado durante a fase de troca dos dentes de leite pelos permanentes e, na maioria desses casos, o diastema pode fechar sozinho. Esse espaço pode ser formado por diversos fatores, como, por exemplo: A diferença de tamanho entre os dentes, a existência de freio labial com baixa inserção (tecido que vai do lábio à gengiva), doença periodontal, perda de algum dente ou ausência dele, hábitos orais (uso de chupetas na infância, chupar dedo), alterações de oclusão, mordida e pressão exacerbada da língua entre os dentes. O DIASTEMA PRECISA SER CORRIGIDO: SIM OU NÃO? O diastema pode desfavorecer a harmonia do sorriso, porém, esteticamente, só deve ser tratado caso o paciente realmente sinta algum desconforto estético e social quanto a isso. É necessário, também, observar se o problema é de ordem funcional ou se está relacionado à má oclusão, assim, o dentista poderá orientar o melhor tipo de correção e tratamento. Esses espaços entre os dentes podem, por exemplo, proporcionar distúrbios fonéticos e também aumentar as chances do aparecimento de doenças bucais por conta da maior facilidade de acúmulo de alimentos entre os dentes. Nesses casos, os cuidados com a higiene bucal através da correta escovação e do uso diário de fio dental são ainda mais importantes. Outra ferramenta que ajuda bastante a remover a placa bacteriana acumulada no diastema é a escova interdental. COMO A DIASTEMA PODE SER CORRIGIDA: VEJA AS OPÇÕES DE TRATAMENTO É importante que a origem do problema seja levada em conta pelo dentista responsável. Isso porque o tipo de tratamento vai variar de acordo com a etiologia de cada um. Na maioria dos pacientes adultos, esse tratamento pode ser realizado por meio do aparelho ortodôntico ou de uma complementação estética. Nesta última, podemos melhorar a anatomia e o formato dos dentes utilizando-se incrementos de resina composta ou realizando a confecção de facetas ou laminados cerâmicos nos elementos envolvidos. Já nas crianças, pode ser realizada uma frenectomia para reposicionar ou reduzir o freio, permitindo maior flexibilidade do lábio. Quando necessário, essa cirurgia também pode ser associado ao tratamento ortodôntico.



Mais artigos de Marcelo Nogueira Russo

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais