SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Demora na queda dos dentes de leite

02/11/2020 - Marcelo Nogueira Russo

Não é novidade para ninguém que a troca de dentes é um dos processos mais importantes para saúde bucal das crianças. Por isso, ao perceber que o dente de leite não cai é preciso ligar o sinal de alerta. Embora não seja um problema tão grave, essa pequena disfunção pode causar bastante desconforto e até mesmo inflamação na gengiva do seu pequeno. O QUE PODE CAUSAR O ATRASO NA TROCA DE DENTES Toda criança costuma ter 20 dentes de leite na boca que são gradativamente substituídos por 32 permanentes dos 5 aos 13 anos de idade. No entanto, existem alguns fatores que podem contribuir para que esse processo não ocorra de maneira natural e, muita das vezes, prejudique a saúde bucal do seu pequeno. Uma alimentação processada e líquida, por exemplo, pode diminuir o estímulo mastigatório em cima dos dentes, o que pode contribuir para o atraso na troca de dentes. A falta de espaço e o posicionamento dos dentes na arcada dentária também pode contribuir para o quadro. Além disso, fatores emocionais também podem estar ligado ao episódio, já que contribuem para uma gengiva enrijecida e muito fibrosa. DENTE DE LEITE NÃO CAI: ENTENDA AS CONSEQUÊNCIAS DESSE QUADRO Embora a retenção prolongada - condição que gera o atraso na troca de dentes - não resulte em grandes complicações, é importante ter alguns cuidados como os pequenos. Isso porque a demora na queda do dente de leite pode vir acompanhada de incômodo ao se alimentar, inflamação nas gengivas e até mesmo cáries devido ao acúmulo de alimentos na região. Sendo assim, ao perceber o quadro, o primeiro passo é buscar um odontopediatra para avaliar a situação do seu filho e, assim, garantir o melhor tratamento. Lembre-se: em hipótese alguma tente arrancar ou extrair o dente do seu filho em casa. A tentativa pode causar fratura da raiz e inflamação na região, dificultando ainda mais a remoção desse elemento. O QUE DEVE SER FEITO QUANDO O DENTE DE LEITE NÃO CAI? É importante destacar que não se deve forçar para que o dente de leite caia. Ao notar que o elemento está longe de “apontar”, o ideal é buscar formas de estimulá-lo a sair naturalmente. Investir em alimentos sólidos para incentivar a mastigação, por exemplo, é uma boa solução. Mas, se ainda assim, os dentes permanentes não apontarem é importante levar o pequeno ao consultório odontológico para avaliar o quadro e garantir o tratamento adequado. Dessa maneira, é possível até mesmo evitar prejuízos ortodônticos para o sorriso do seu filho, como quando o dente leite segue até a adolescência ou quando o dente permanente nasce no local errado devido o de leite não ter caído. Publicado na edição 1639 de 22/10/2020



Mais artigos de Marcelo Nogueira Russo

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais