SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Amando como Jesus amou

02/11/2020 - Thiago da Silva Vieira

O maior exemplo de amor que temos é nosso Senhor Jesus Cristo. Aprendemos o que é amar na prática através da sua vida, morte e ressurreição. Jesus amou perfeitamente a Deus e ao próximo, cumprindo toda a Lei. Jesus Cristo amou as pessoas fazendo o bem, alimentando os famintos, curando pessoas, expulsando demônios e libertando os oprimidos do Diabo. Jesus estava sempre pronto a ajudar aqueles que lhe pediam socorro. Ele não somente pregou sobre o amor, também o praticou. Ao abordar e ser abordado por pessoas com diversos problemas e pecados, Ele não negou ajuda. Se havia pecados, não deixou de confronta-los com a verdade. Jesus não era do tipo de pessoa que faz as pessoas se sentirem bem e felizes em suas condições separadas de Deus. Ele sempre procurava corrigir o problema em sua raiz. Jesus pregou com autoridade chamando pecadores ao arrependimento: “E dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho”. Mc 1: 15 (Jo 3; Jo 4:16-18; Jo 8: 23; Mt 10:28; Lc 13:1-5). Finalmente, Cristo amou sacrificialmente, resolvendo de uma vez por todas, o problema da humanidade; o pecado, morrendo em lugar de pecadores para que eles vivam de acordo com a vontade de Deus eternamente. Esse é o amor que Ele exige de nós que amemos promovendo o bem temporário e eterno das pessoas. Muitas pessoas geralmente gritam para os cristãos: “Sejam como Jesus, amem igual a Jesus. Se os cristãos amassem como Jesus o mundo seria melhor e aceitaríamos o cristianismo”. Mas não é verdade tais afirmações, pois são baseadas em uma falsa definição de amor. Existe muita perseguição aos cristãos, exatamente porque eles pregam o amor, e o amor confronta aqueles que ouvem a viverem de acordo com a Lei de Deus ( Rm 13: 8-10). Eles não querem ser confrontados, querem ficar confortáveis em suas práticas erradas. Por isso rejeitam o amor de Cristo. Assim como foi perseguido Jesus, seus seguidores também seriam (Jo 15:15-20). A mensagem de amor pregada por Cristo e pelos cristãos é odiada porque confronta os pecados que o mundo ama. O amor e a verdade andam juntas. O mundo odeia a verdade e despreza o amor de Deus, porque isso traz prejuízo aos seus projetos egoístas. Ninguém apegado a si mesmo quer um amor que ensina que devemos negar a nós mesmos para vivermos em prol do próximo afim de agradarmos a Deus. Esse amor somente é recebido e consequentemente praticado por aqueles que estão cansados de buscar satisfação em águas que não podem satisfazer (Jo 4:13-14). É para os humildes de espírito que reconhecem que são incapazes de serem felizes longe de Deus, por isso choram por seus pecados ( Mt 5 : 3, 4). Esse amor é um dom de Deus para todos os que creem em Cristo como Senhor e Salvador. Deus ama pecadores, e a maior prova desse amor foi dada ao enviar Seu Filho para morrer como sacrifício pelos nossos pecados (Jo 3: 16, Rm 5:8). Jesus nos dar prova desse amor quando vem a esse mundo, não para ser servido mas para servir e dar a vida em resgate de muitos ( Mt 20:28). Quem ama como Cristo amou, não busca seu próprio interesse mas o interesse do próximo. Não age com covardia quando oportuno em falar a verdade corrigindo o erro. Quem ama quer o maior bem do seu próximo, e o maior bem que alguém pode receber é a salvação de sua alma. Isso significa que se você ama como Cristo você deve pregar para que as pessoas abandonem seus pecados que as impedem de se relacionarem com o Salvador. Se a maior demonstração do amor de Deus é promover a salvação de pecadores, segue-se que a maior demonstração de ódio por alguém é promover sua condenação. Isso significa que se você em nome do amor aprova as pessoas que vivem na prática do pecado, ao invés de reprova-las, pregando a verdade do evangelho, você está promovendo a condenação dessas pessoas que você diz amar. Alguns dizem: “Deixem os homens e mulheres com seus amantes não importa se é adultério se estiver amando, o que importa é que eles estão felizes. Eles se sentem bem assim, então deixa.” Mas nada disso é amor, isso é ódio. O homem que adultera não ama Deus, nem sua amante, nem sua esposa, pois mente para ambas, e desobedece aos mandamentos de Deus. Não existe amor onde existe relação contrária à Lei de Deus (1 Co 6: 9–10; Rm 13:8-10). Como alguém pode afirmar que ama alguém, se apoia suas práticas pecaminosas que conduzem tais pessoas para mais longe de Deus ( Rm 1: 32). Jesus nunca aprovou práticas pecaminosas que desonravam a Deus. Ele amava o Pai e amava os pecadores, por isso reprovava seus pecados para que se arrependessem e cressem nele, e com isso fossem fosse salvos para relacionarem com Deus. Jesus amou perfeitamente. Ele provou o seu amor não nos deixando em nossos maus caminhos, mas vindo a esse mundo sofrer a morte em nosso lugar para que pudéssemos ser participantes da vida eterna. Ele morreu para promover nosso bem eterno. Você tem amado com Jesus? Publicado na edição 1639 de 22/10/2020



Mais artigos de Thiago da Silva Vieira

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais