SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

A minha alma tem sede de vós

12/11/2020 - Dom Orani

Estamos no 32º domingo do tempo comum: próximos de concluirmos mais um ano litúrgico e temos a oportunidade de rever as nossas atitudes ao longo desse ano, aquilo que agradou e aquilo que desagradou a Deus. Temos a oportunidade de pedir perdão a Deus e recomeçar novamente. A partir do novo ano litúrgico que se iniciará, teremos a oportunidade de construir aqui, na Terra, o Reino de Deus e fazer aquilo agrada a Deus. Deixemo-nos interpelar pela palavra de Deus.


Com o final do ano litúrgico, se acende em nós a esperança da chegada do Reino de Deus com a segunda vinda de Jesus. Na plenitude dos tempos, o Senhor enviou o seu Filho Jesus para mostrar a humanidade o quanto Ele nos ama e nos indica o caminho do amor e da fidelidade à aliança.


Por isso, no final do ano litúrgico, a Liturgia nos indica esse caminho, de aguardar confiantes e com o coração cheio de alegria a segunda vinda de Jesus Cristo. Peçamos, nessa liturgia, que o Senhor venha e nos sustente cada vez mais nesse caminho de construção do Reino.


A primeira leitura (Sb 6,12-16) nos aponta o caminho para chegarmos até a “sabedoria plena”. Essa sabedoria plena é o próprio Deus. Por meio da sabedoria, Deus criou todo o universo com perfeição e amor e criou o ser humano igualmente. O ser humano, durante a sua vida, deve estar sempre em busca dessa sabedoria perfeita. Se o ser humano quiser essa sabedoria, o guiara em todos os seus projetos.


O salmo responsorial 62(63) apresenta o desejo incessante da busca do ser humano por Deus. Essa procura do ser humano por Deus deve ser constante, assim como nos diz o refrão do salmo “A minh’alma tem sede de vós e vos deseja, ó Senhor”! Buscar o Senhor é sempre o melhor caminho e procurar viver a vida retamente.


Na segunda leitura (1Ts 4,13-18), o Apóstolo São Paulo exorta a comunidade a não ficarmos tristes e desesperados diante da morte. Que, assim como Cristo ressuscitou, nós também ressuscitaremos. A vida não termina aqui na Terra, mas continua na vida eterna, onde contemplaremos Cristo face a face. São Paulo ainda diz à comunidade que devemos nos manter firmes na esperança da segunda vinda de Cristo, pois Deus trará de volta com Ele aqueles que entrarão no sono da morte e, assim como Ele, ressuscitarão de maneira plena. Aqueles que aqui ainda ficaram, serão arrebatados ao alto céu e se encontrarão com o Senhor e viverão com Ele de maneira plena.


No Evangelho de Mateus (Mt 25, 1-13), Jesus conta a parábola das jovens previdentes e imprevidentes. Ou seja, as previdentes compraram óleo suficiente para deixar as suas lâmpadas acesas e as imprevidentes não compraram o suficiente e o óleo não seria suficiente para deixar as lâmpadas acesas para ir ao encontro do noivo que viria. Diante disso, as jovens imprevidentes vão pedir às previdentes um pouco de óleo para que as lâmpadas delas não se apagassem, mas as previdentes respondem: “De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar dos vendedores”. E aconteceu que, enquanto elas foram comprar o óleo, o noivo chegou. E aquelas que estavam preparadas entraram para a festa, e elas não. E quando elas chegam e pedem ao Senhor para abrir a porta para elas entrarem, Ele não deixa e diz que as não conhecem.


O Senhor quer nos dizer, por meio desse Evangelho, que devemos estar sempre preparados, com as nossas lâmpadas acesas para irmos ao encontro do Senhor e entrarmos para o banquete eterno. Não devemos deixar que falte óleo para abastecer a nossa lâmpada e, com isso, acontecer que não dê tempo de entrarmos para o banquete eterno.


Sejamos sempre previdentes durante a nossa vida, irradiando luz na vida dos outros e merecendo, assim, com as nossas atitudes, entrarmos no banquete eterno. Devemos estar em constante vigilância e oração guiados pela Palavra de Deus, por meio do encontro diário com Ele na Eucaristia, sustentando, assim, a nossa vida com a força que vem do Senhor.


Celebramos há poucos dias o Dia de Finados, que é uma data de esperança na vida eterna pois, após essa vida terrestre, viveremos eternamente ao lado de Deus, contemplando face a face o rosto de Cristo. No dia da ressurreição final, entraremos na glória junto com Ele.


Que possamos trazer em nosso coração essa certeza que a vida não acaba aqui, mas ela é uma passagempara a vida eterna. Cabe a cada um de nós estarmos, vigilantes e preparados para o dia do encontro com o Senhor, que não sabemos qual será o dia ou a hora.


Por isso, devemos viver uma vida igual a das jovens previdentes do Evangelho, irradiando luz para as pessoas e sendo sinal da presença de Deus para quem encontrarmos. Dessa maneira, guardaremos óleo para que a nossa lâmpada esteja acesa para o encontro definitivo com Ele.


Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

 

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ 

 

Publicado originalmente na edição impressa, número 1641, de 7 de novembro de 2020

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist. - Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


Mais artigos de Dom Orani

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais