SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Gengivite Gravídica

17/10/2020 - Marcelo Nogueira Russo

A manutenção da saúde bucal durante a gestação é extremamente importante, no entanto grande parte da população não tem acesso a informações relacionadas às alterações bucais características deste período. O QUE CAUSA A GENGIVITE GRAVÍDICA? É um quadro muito comum durante o período de gestação e por isso recebe a nomenclatura bem específica para diferenciá-la: gengivite gravídica. A gengivite gravídica é uma resposta inflamatória exagerada a factores irritantes como a placa bacteriana e o tártaro. O problema acontece devido a alteração hormonal. O hormônio progesterona presente nesse período e que pode contribuir com o aumento do fluxo sanguíneo nos tecidos gengivais. Dessa forma, a região da gengiva acaba ficando mais inchada e, consequentemente, se torna mais suscetível a sangramentos espontâneos durante o ato da escovação. Esse quadro atinge de 60% a 70% das gestantes e essas mudanças hormonais podem facilitar o crescimento de algumas bactérias. QUANDO A GENGIVITE GRAVÍDICA COMEÇA A SURGIR E QUAIS OS SEUS PRINCIPAIS SINTOMAS? A gengivite gravídica pode ocorrer a qualquer momento, embora geralmente se inicie no segundo mês da gravidez. Ela também pode aumentar progressivamente e em conjunto com o aumento hormonal do quarto ao nono mês. A gengivite na gravidez, normalmente, não é sinal de má higiene bucal, podendo acontecer mesmo quando o nível de bactérias está normal e a grávida escova corretamente os dentes. Os principais sintomas incluem: • Gengivas vermelhas e inchadas; • Sangramento fácil das gengivas ao mastigar ou escovar os dentes; • Dor intensa ou constante nos dentes; • Mau hálito e sensação de mau gosto na boca QUAIS OS RISCOS DA GENGIVITE GRAVÍDICA DURANTE A GESTAÇÃO? Por mais que não seja um problema que traga muitos incômodos para a paciente, é preciso ter muito cuidado com a gengivite para que ela não traga maiores transtornos. O tratamento inadequado, ou até mesmo a sua falta, pode acarretar um quadro de periodontite, uma doença muito mais grave e que pode ser um verdadeiro risco tanto para a saúde da gestante, quanto para a saúde do feto. Pesquisas demonstram que os problemas gengivais podem ocasionar efeitos indesejáveis para o bem estar do feto, elevando o risco de parto prematuro e de bebês que nascem abaixo do peso ideal. O Parto Prematuro pode ser originado por uma infecção, quando as bactérias ou suas toxinas, passam pelo sulco gengival e tecido conjuntivo, alcançando a corrente sanguínea e chegando, assim, à cavidade uterina durante a gestação. Esses microrganismos estimulam a produção de mediadores químicos inflamatórios que levam à expulsão do feto. As mães com doença periodontal apresenta risco 7,5 vezes maior de nascimentos prematuros com bebés de baixo peso (<2,500g) em relação às mães sem doença periodontal. COMO PREVENIR A GENGIVITE GRAVÍDICA? A melhor forma de cuidar do seu sorriso, é cuidando da higiene dele. Portanto, para evitar um quadro de gengivite gravídica é preciso controlar a placa bacteriana responsável pelo desencadeamento da doença. Uma boa higiene oral com auxílio de uma escova macia e a técnica correta de escovação, o uso de fio dental e um enxaguante bucal, visitas periódicas ao dentista para remoção de tártaro e placas bacterianas. Além disso, é importante que, ao sinal de qualquer anormalidade na cavidade oral, o paciente busque orientações com o dentista.



Mais artigos de Marcelo Nogueira Russo

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais