SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Santo Estevão

09/01/2021 - Dom Orani

Celebramos neste dia 26 de dezembro, um dia após o Natal e dentro da oitava de Natal, a memória do mártir Santo Estevão. Santo Estevão é o primeiro mártir da Igreja (protomártir) e nos ensina principalmente o serviço (diaconia) feito com amor ao próximo. Ele nos ensina a como nos doar ao próximo, vivenciando a prática da caridade e vivendo o mandamento do amor dado por Jesus.


Santo Estevão é um dos sete diáconos escolhidos e ordenados pelos apóstolos, para ajudá-los no serviço às mesas e para dar atenção às viúvas. Santo Estevão abençoa e protege a missão dos diáconos.


Santo Estevão é chamado de Protomártir, ou seja, ele foi o primeiro mártir de toda a história católica. O seu martírio ocorreu entre o ano 31 e 36 da Era Cristã. Estevão era fiel no ensinamento da palavra de Deus, realizava grandes prodígios e orações cheias de poder. Colocava em prática tudo aquilo que Jesus ensinou, e isso irritou alguns na sinagoga que eram fiéis ao Império Romano da época, e começaram a discutir com Estevão, que se mantinha fiel à sua fé.
Essas pessoas apresentaram falso testemunho contra Estevão, o levaram ao Sinédrio, a fim de julgá-lo e posteriormente condená-lo à morte. Depois de um longo discurso tentando abrir a mente daqueles que queriam condená-lo, ele terminou dizendo: “Vejo os céus abertos e o Filho do homem que está à direita de Deus”. Depois desse discurso de Estevão foi o estopim para levá-lo para fora da cidade e apedrejá-lo. Saulo, que mais tarde se tornaria Paulo, viu tudo, e as roupas de Estevão foram colocadas aos seus pés. Enquanto era apedrejado ele dizia: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”. Depois, sendo posto de joelhos, gritou: “Senhor, não lhes contes este pecado”. E após isso adormeceu.


Santo Estevão deve inspirar os diáconos sobretudo no serviço gratuito e desinteressado aos pobres e marginalizados da sociedade. A eucaristia nos leva à missão, o Espírito Santo nos impulsiona para o serviço e para ajudar o próximo. Com certeza Jesus inspirava Santo Estevão em sua missão com os mais pobres e hoje auxilia, por meio da Eucaristia e do Espírito Santo, os diáconos em sua missão.


“Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: ‘Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra’. Tal proposta agradou a todos. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, além de Filipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Pármenas e Nicolau, um convertido ao judaísmo, proveniente de Antioquia”. (cf At 6, 2-5).


A partir desse texto podemos observar como os apóstolos escolheram sete homens de boa reputação para serem diáconos e ajudá-los no serviço diário, sobretudo no serviço às mesas. Se trazermos esse texto para o nosso contexto de hoje, os diáconos também são escolhidos pela Igreja e devem ter boa reputação, ser homens de oração e cheios do Espírito Santo e ter uma dimensão de caridade especial no serviço aos pobres.


A Igreja, após fazer uma consulta aos responsáveis e ao Povo de Deus, escolhe homens de boa fé e de boa reputação e através da ação do Espírito Santo (por meio da imposição das mãos do Bispo e da oração consecratória) na ordenação. O bispo, que é sucessor dos apóstolos, ordena os novos diáconos para a Igreja.
Portanto a origem do ministério do diaconato surge com os apóstolos e perdura até hoje na Igreja. Tendo como inspiração Santo Estevão, que juntamente com os outros seis homens de boa fé, foi ordenado diácono. Que nunca faltem os diáconos na Igreja, que auxiliam a preparar a mesa da Eucaristia e sua distribuição e no serviço da caridade ao próximo. O ministério diaconal é um tempo de graça.


Na Igreja temos os diáconos transitórios, que são aqueles que se preparam para o ministério sacerdotal, e os diáconos permanentes, que são homens na maioria casados e que são escolhidos para serem ordenados diáconos para melhor servir a Igreja e ao povo de Deus. Que o exemplo de vida de Santo Estevão motive a todos os diáconos em sua missão, sobretudo na doação ao próximo e na partilha da Eucaristia. Que o Espírito os acompanhe em sua missão de servir e possam manter a chama da fé acesa e levar muitas pessoas a escolheram por Cristo e por sua Igreja.


Celebremos com alegria a festa de Santo Estevão, o primeiro mártir da Igreja, e que a exemplo dele possamos ser fiéis mensageiros do Evangelho de Cristo, anunciando a sua Palavra, partilhando a Eucaristia e o alimento material com os necessitados. E que em nome de Cristo não tenhamos medo de anunciar a verdade e denunciar as injustiças, possamos permanecer firmes no nosso propósito até o dia da nossa morte. Amém. Santo Estevão, rogai por nós.

 

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist. - Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


Mais artigos de Dom Orani

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais