SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Prevenindo o Burnout

30/01/2021 - Alessandra Pimenta

A Síndrome de Burnout tem surgido como resultado de um desencontro entre a natureza do trabalho e a natureza da pessoa que o realiza. Para estes, o desgaste dos trabalhadores seria um problema do ambiente laboral e ocorreria em função da má organização do trabalho.

FATORES CAUSAIS PARA O BURNOUT:
O excesso de atividades laborais, a falta de controle no ambiente ocupacional, a falta de recompensa, a falta de união entre os colaboradores, a falta de equidade – enquanto imparcialidade de gestores e colegas para reconhecer o direito de cada um, de forma equivalente – e conflito de valores no ambiente de trabalho.
Fatores presentes no dia-a-dia no trabalho, como a sobrecarga de atividades, excesso de cobranças e frustração de expectativas, são característicos de um ambiente laboral problemático e são vistos como desencadeadores da Síndrome de Burnout.
Geralmente, a mudança pode ocorrer se forem considerados aspectos contextuais, causadores e mantenedores de padrões comportamentais relacionados à síndrome.
A saúde do trabalhador precisa ser considerada de maneira global, por meio da avaliação de fatores que estão presentes na relação homem–trabalho. Tal compreensão pode auxiliar na produção de um ambiente laboral agradável, que leve em consideração a saúde física e mental e que ofereça condições de desenvolvimento pessoal e profissional.

PREVENÇÃO:
Prevenir o seu próprio Burnout significa gerir o seu tempo com sabedoria, o que implica algumas das coisas mais básicas, mas mais poderosas para a saúde, como garantir que esteja sempre dormindo o suficiente, vivendo um estilo de vida saudável – e ser sempre aberto e honesto sobre quaisquer preocupações que possam surgir no trabalho. Tenha sempre em mente que cuidar de você é fundamental para o seu sucesso.
Caso sinta os primeiros sintomas e perceba que as coisas estão começando a descer ladeira abaixo, mude a marcha, mas não pise fundo nos freios de uma vez. Se você se permitir parar subitamente, poderá piorar muito as coisas. Assim, se sentir o Burnout chegando, tome medidas e tenha cuidado, mas não seja brusco nos seus atos. Veja o Burnout como um sinal de alerta!
QUAIS MUDANÇAS REALIZAR?
A mudança no estilo de vida é que faz toda diferença. Praticar atividades físicas, como caminhar no mínimo 30 minutos, três a quatro vezes na semana, é uma ótima opção.
Essa atividade libera os hormônios do bem-estar e a pessoa se sente muito melhor depois da caminhada.
A segunda dica é mudar a alimentação. Evitar café, bebidas alcoólicas, ingerir menos carnes vermelhas e mais frutas e verduras, podem ser a melhor forma de prevenção.
O tratamento psicológico também é fundamental. Conversar sobre o que sente e expor os sentimentos com uma pessoa que não faz parte do seu círculo de vivência é uma forma de ver a situação de outro ângulo. E um novo olhar pode ajudar a reestabelecer a saúde emocional e física.
Em alguns casos ocorre o uso de medicamentos controlados. Na terapia você irá aprender a alterar padrões comportamentais que te levaram ao esgotamento.
Uma alternativa é utilizar a fitoterapia e as terapias e massagens relaxantes.
Mudanças na rotina, como incluir um hobby e novas dinâmicas nas atividades diárias, ajudam muito. Assim como definir novos objetivos profissionais.
Tirar uma folga pode ser uma ótima solução, mas nem sempre viável; é importante que você tenha espaço e abertura para falar com seu gestor sobre o problema e ver se podem ser feitos ajustes imediatos para melhorar seu ambiente de trabalho e sua saúde mental.
Uma dica sempre muito válida é: se você não está bem emocionalmente, procure forças para mexer o corpo! Faça caminhadas, dance, mexa-se de alguma forma. E faça isso se tornar um hábito. Afinal, nosso corpo foi projetado para o movimento, então, se ficar parado pode enferrujar e ter problemas emocionais! Experimente grupos de caminhada, corrida, bike ou outra atividade que você goste. Atividade física e a socialização são uma ótima combinação.
Fazer parte dos grupos nos dá sensação de pertencimento, nos distrai e tira o foco do trabalho, além de auxiliar na socialização e renovar nossas energias.
É importante que sua vida pare de girar apenas em torno do trabalho.
Você pode ser uma vela que perdeu temporariamente sua chama, mas que poderá voltar a brilhar caso esteja disposto a expressar seus sentimentos e fazer mudanças significativas.


Alessandra Pimenta é Psicóloga Clínica com foco em Terapia Comportamental, inscrita no CRP 06/137648 - Contato(19) 99291-9886 - Instagram: @alessandrapimenta.psi
 

Alessandra Pimenta de Souza é psicóloga Clínica, inscrita no CRP 06/137648 e atua com foco na terapia comportamental. Contato: (19) 99291-9886 – Instagran: @alessandrapiment.psi


Mais artigos de Alessandra Pimenta

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais