SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34

Os negócios jurídicos de consumo no comércio eletrônico

13/03/2021 - Dr. Matheus Henrique de Oliveira Aguiar

Atualmente, a partir da evolução industrial, a sociedade passa por uma constante evolução, principalmente na área de tecnologias. Assim o comércio tradicional sentiu-se na necessidade de seguir o ritmo dessa evolução, uma vez que o consumidor passou a exigir tais mudanças e alternativas mais práticas e rápidas.
Neste sentido as empresas, além de satisfazerem a necessidade do consumidor, buscando uma nova forma de redução de custos de produção, estão investindo no comércio eletrônico (e-commerce), que consiste na comercialização de produtos que antes eram vendidos em estabelecimentos físicos e agora passam a ser vendidos por meio da internet. Essa nova forma tem sido benéfica para as empresas, uma vez que essa transação não precisa de auxílio de qualquer pessoa. Portanto, esse modelo de negócio jurídico é mais vantajoso para o empreendedor/fornecedor e para o consumidor, este favorecido pelo menor esforço e preços, porque muitas vezes os preços praticados no âmbito virtual são menores do que os de estabelecimentos físicos. Já para a empresa, favorece pelo maior controle de estoque, menor contratação de mão de obra, além de ter os produtos expostos, entre outras vantagens.
Entretanto, por mais nítida a relação de consumo estabelecida nas vendas on-line, o consumidor ainda não captou que a essência dos institutos peculiares do comércio eletrônico é a mesma que a relação jurídica ocorrida na relação consumerista tradicional. Merecendo a mesma proteção e a mesma confiança da relação de consumo entre consumidor e fornecedor no estabelecimento físico.
Portanto, não se trata de uma modalidade especial de contrato. Conforme, preconiza o art. 425 do Código Civil vigente, que disciplina acerca da possibilidade das partes contratantes estipularem um contrato atípico, assim é possível a existência de outras figuras contratuais, típicas ou atípicas, efetivando-se por meio dessa nova tecnologia de formação contratual, que é o comércio eletrônico.
Assim, está nítido o tipo de relação existente na comercialização eletrônica, ou seja, há a concretização de um negócio jurídico. Na verdade, o comércio eletrônico é uma nova tecnologia de formação contratual, não se confundindo com uma nova figura contratual ou um novo contrato jamais visto, ou seja, caracteriza-se pelo meio empregado para a celebração contratual, para o seu cumprimento ou para a sua execução, de forma total ou parcial.
Diante da possibilidade do enquadramento dos negócios jurídicos realizados no meio eletrônico nos princípios e requisitos das demais formas contratuais, assim como de não ser esse negócio jurídico uma modalidade especial, o consumidor usuário dessa modalidade de comércio está devidamente protegido e informado.

 

 


Por Dr. Matheus Henrique de Oliveira Aguiar, advogado. 



Mais artigos de Dr. Matheus Henrique de Oliveira Aguiar

20/03/2021 - Venda casada: entenda o que é e quais são os direitos do consumidor
13/03/2021 - Os negócios jurídicos de consumo no comércio eletrônico
06/03/2021 - Cobrança errada, devolução dobrada
26/02/2021 - A proteção jurídica do consumidor no comércio eletrônico
13/02/2021 - Planos de saúde e procedimentos estéticos
06/02/2021 - Teoria do desvio produtivo do consumidor e seus aspectos
30/01/2021 - A ilegalidade da cobrança de consumação mínima
23/01/2021 - Informação: dever do fornecedor e direito do consumidor
17/01/2021 - A ilegalidade da cobrança de consumação mínima
09/01/2021 - A importância do conhecimento do Código de Defesa do Consumidor
31/12/2020 - Prática abusiva no Código de Defesa do Consumidor
24/12/2020 - Prática abusiva no Código de Defesa do Consumidor
19/12/2020 - Como proceder com imóvel entregue diferente da planta
03/12/2020 - Aspectos jurídicos relevantes da Black Friday
03/12/2020 - Contratos eletrônicos à luz do código de defesa do consumidor
20/11/2020 - A responsabilidade do comerciante no Código de Defesa do Consumidor
12/11/2020 - Lojas são obrigadas a expor os preços dos produtos nas vitrines
12/11/2020 - Ortodontia preventiva
02/11/2020 - Estabelecimentos não podem exigir valor mínimo para compras no cartão
22/10/2020 - Cobrança errada, devolução dobrada
17/10/2020 - Empresas tem cinco dias para limpar nove de devedor
14/10/2020 - O sistema nacional de defesa do consumidor

Mais notícias

Mais notícias…

Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais