SÃO JOSÉ DO RIO PARDO E REGIÃO – ANO 34



A onisciência de Deus e nossos pecados

23/01/2021 - por Thiago da Silva Vieira

Sabe-se que a partir do momento que nascemos estamos em constante aprendizado. Sendo assim, nossa sabedoria é desenvolvida à medida que crescemos. Aprendemos a nos comunicar, a falar as primeiras palavras: - Papai, mamãe, ou nome do animal de estimação. Logo, aprendemos a ler, a escrever e a pesquisar. Somos instruídos por nossos pais, professores, acessando bons livros e a internet. Nesse sentido, todos nós obtemos conhecimento, uns mais, outros menos, de acordo com a acessibilidade. Todavia, pensamos conhecer profundamente nossos amigos, pais, irmãos e cônjuges; porém, muitas vezes nossos entes queridos agem de maneira que nos causam espanto e tristeza, que não esperávamos. Pensamos conhecer a nós mesmos, nosso coração. Mas muitas vezes enganamos a nós mesmos e aos outros. Isso acontece porque o coração é inacessível aos olhos humanos. Por sermos finitos, o nosso conhecimento é limitado.

 

Mesmo que tenhamos muito conhecimento, é impossível conhecer todas as coisas. Diante disso, fica a pergunta: como viver sabendo que nosso conhecimento é limitado a poucas informações? A resposta é: confiando e dependendo daquele que sabe todas as coisas, Deus.


Deus é onisciente, isso significa que Ele possui todo o conhecimento. Ele conhece todas as coisas nos mínimos detalhes. Passado, presente e futuro estão em sua mente por intuição. Seu conhecimento é instantâneo, imediato, infinito e perfeito. Deus não aprende, ele sabe. Ele não descobre, pois não há nada encoberto diante dele, nem esquece de nada. Deus não necessita de informação, ele não teve professores que o ensinassem. Isaías perguntou: “Quem guiou o Espírito do SENHOR? Ou, como seu conselheiro, o ensinou? Com quem ele se aconselhou, para que lhe dessem compreensão? Quem lhe ensinou a vereda da justiça ou quem lhe ensinou sabedoria? E quem lhe mostrou o caminho de entendimento?” (Is 40:13-14).


Obviamente a resposta é: “ninguém”. “Deus nunca se surpreende, nunca se espanta, nada do que acontece no universo acontece sem que Deus saiba. Desde o pecado de Adão que iria ocorrer, antes que ocorresse, até o último segundo da história da humanidade. Deus sabe todas as coisas, e está no controle de todas as coisas. Isso inclui todos os detalhes de nossas vidas. Davi diz: “ Senhor, tu me sondas, e me conheces. Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos.” Sl. (139.1-4.). “Até os cabelos das vossas cabeças estão todos contados”, disse Cristo (Lc 12.7). Ele conhece nossos pensamentos mais íntimos, julga as intenções dos nossos corações.


Ainda mais, ninguém, por mais esperto que seja, consegue enganar a Deus. Os homens podem enganar os homens, sendo “bons” atores, usando máscaras em seus relacionamentos, mas ninguém jamais é capaz de esconder seus rostos diante de Deus (Mt 6.1-18; 23.13-29). Toda hipocrisia é descoberta diante dele. Deus não se impressiona com aparências externas. Ele sonda o interior do coração (1Sm 16.7). Ele conhece a fachada da casa e também o interior da casa. Não basta a fachada ser bela, o interior também deve ser.


Deus julgará o mundo com justiça, cada um segundo as suas obras, não porque precisa de testemunhas, mas porque ele é a testemunha de todos os corações. “Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações. “Jr. 17.10 (1Cr 28.9; Pv.5:21; Ec.12.14; Hb.4.13; Ap.2.23).


Inquestionavelmente, ninguém escapa da presença de Deus, como também cada pecado cometido é cometido diante de Seu trono, onde os anjos louvam: “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos exércitos.” Talvez você esteja escondendo algum pecado seu das pessoas que você conhece, algo que te dá alegria, por isso não quer abandonar. As pessoas não sabem, mas Deus sabe. Deus é o público de nossos pecados, nada está oculto diante dele. É inútil sentir vergonha de pecar em público, e não sentir vergonha e temor no escondido, mas diante dos olhos de Deus. Isso é um engodo, ninguém pode trancar a porta do quarto e deixar Deus na sala. Quando as pessoas são o público dos nossos pecados, o dano, por mais grave que seja, é pequeno comparado a Deus, que pode lançar a alma e o corpo no inferno. Ademais, não oculte seu pecado, esconda-se atrás da cruz de Cristo.


Clame por misericórdia e por perdão. Ele o perdoará se você colocar sua confiança em Jesus Cristo.


Não há dúvidas que Deus é digno de ser louvado por sua onisciência, sabedoria e por sua misericórdia, pois mesmo conhecendo todos os fatos sobre nós e sobre todos os nossos pecados, mesmo assim nos amou. Demonstrando de maneira tão gloriosa, dando seu filho unigênito, Jesus Cristo, para sofrer e morrer em nosso lugar para nos salvar, “Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm. 5:8).


Logo, a nossa obediência em todas as situações não deve partir de um coração triste, ou que tem medo de Deus, mas de um coração transformado, cheio de alegria e gratidão pelo o que Deus realizou por nós mediante seu Filho, Jesus Cristo. Nós o amamos porque ele nos amou primeiro.

 

 

Por Thiago da Silva Vieira
 

Mais artigos de Thiago da Silva Vieira

13/05/2021 - A necessidade da família


13/05/2021 - Causa pela qual vale morrer


13/05/2021 - O desejo de morrer e o sentido da vida


17/04/2021 - Chegou a sua vez de sofrer


20/03/2021 - Nossa esperança na pandemia


13/03/2021 - A Maravilhosa Graça de Deus em meio ao pecado


06/03/2021 - Livre arbítrio - Parte II


26/02/2021 - Livre arbítrio - Parte I


13/02/2021 - Pobres e felizes


06/02/2021 - Qual deve ser a atitude do cristão em relação aos falsos mestres?























Jornal Democrata
São José do Rio Pardo e Região
Whats 19 3608-5040
Tel.: 19 3608-5040

Siga-nos nas Redes Sociais

contato@jornaldemocrata.com.br